Normalmente o entrevistador vai conduzindo a entrevista, fazendo perguntas, propondo interrupções, fazendo observações, pedindo explicações, etc. Mas alguns usam de outras técnicas, quase não fazendo perguntas ou interrupções, deixando você livre para se apresentar. 

 

Sempre que possível, evite respostas diretas como “sim” ou “não”, procurando desenvolver um raciocínio completo, tornando as respostas mais interessantes, sem prolixidade.

 

Se você contratou empresa de serviços de assessoria para prepará-lo, esperamos que ela tenha tido o cuidado de orientá-lo para não se comportar como um “robô”, devidamente enquadrado ou enlatado, agindo sem espontaneidade e naturalidade, como se tivesse que seguir um roteiro pré-determinado, a exemplo do que tem ocorrido – e atrapalhado – com inúmeros, ótimos e mal-assessorados profissionais. Pagaram para ser ajudados e se complicaram.

 

Incorpore as orientações recebidas naquilo que for possível e solte-se. Procure ser você mesmo, mesmo que com isso corra o risco de não ser aproveitado. Seleção não é uma disputa ou uma competição do tipo perde-ganha ou ganha-perde.

 

Assista também:

 

 

Você está diante de um processo que, se bem-sucedido, terá continuidade e implicações importantes em sua vida e na vida da empresa. E fazer disso algo sem sustentação futura é ser inconseqüente ou aventureiro – ou um ato de desespero.

 

Se tiver liberdade para se apresentar, organize o seu raciocínio.

 

Fale sobre suas experiências profissionais anteriores, enfatizando suas responsabilidades, grau de envolvimento e participação, a forma de atuação, as dificuldades e obstáculos superados e os resultados atingidos.

 

Demonstre suas habilidades, qualificações e aptidões gerais. Fale de seu estilo pessoal de resolver problemas, a maneira como toma decisões e como se relaciona com colegas, chefes e subordinados. 

 

Considere que o entrevistador já leu o seu currículo. Procure dizer coisas que esclareçam ou acrescentem informação e qualidade ao que já consta em seu currículo, evitando ficar repetitivo e desinteressante.

 

Evite ficar em posição passiva frente ao entrevistador. Acrescente observações, procure saber se ele está entendendo o que você está dizendo e se de fato estão se comunicando.

 

Procure mostrar suas expectativas com criatividade. Deixe transparecer o que realmente gosta de fazer, procurando demonstrar os motivos e desafios que o levaram a se interessar pela vaga.

 

Em algum momento você terá oportunidades para fazer algumas perguntas. Faça perguntas que dizem respeito aos desafios e oportunidades que a posição oferece e outros esclarecimentos que possam ajudá-lo em suas argumentações na própria ou em próximas entrevistas.

 

Negociações ou esclarecimentos adicionais, além daqueles fornecidos em etapas anteriores, relacionados com questões higiênicas (salários, benefícios, gratificações, horário de trabalho, etc.) só devem ser feitos a partir do momento em que há alguma viabilidade de aceitação de contratação entre as partes.

 

Leia também:

 

Paulo Pereira,  Trabalho e Renda
Youtube: Trabalho e Renda – Paulo Pereira
Facebook: @TrabalhoeRendaPP