DIVERSIFIQUE A SUA RENDA E EVITE O PRECIPÍCIO

 

Nossos avós, com a sabedoria que só os longos anos podem dar, já diziam: Não convém deixar todos os ovos em uma única cesta.

 

Este ditado normalmente é utilizado num contexto relacionado com aplicação e alocação de recursos, especialmente os de natureza financeira. Quer dizer que você não deve, por exemplo, investir todo o seu dinheiro em um único tipo de negócio, pois em caso de insucesso ou prejuízo o impacto negativo será total. A melhor conduta para seus investimentos é a diversificação.

 

Essa sabedoria popular já se provou verdadeira em muitas ocasiões e para muitas pessoas e empresas. A lógica dessa sabedoria pode muito bem ser aplicada em nosso dia-a-dia também em relação a nossa forma de trabalhar e garantir o nosso sustento. Devemos adotar o mesmo raciocínio e a mesma postura.

 

Pois bem, assim considerando, não convém para nós, nos tempos atuais, em virtude de todos os aspectos relacionados com o mercado de trabalho em geral e de toda a lógica econômica abordados neste livro, dedicar-nos a uma única empresa ou atividade e ficarmos “de boca aberta esperando a morte ou a sorte chegar”.

 

Para agravar ainda mais, como já mencionado, agora temos de conviver com mais alguns sombrios, trágicos, tristes e repetitivos fatores de insegurança: crises e interesses políticos e econômicos que se transformam em guerra entre países, conflitos sociais que desembocam em guerra civil, os absurdos e repugnantes atos terroristas, ataques suicidas à bomba em escolas, mesquitas, entre tantos outros.

 

Estes novos fatores de insegurança, além da tragédia e violência em si, afetam também o mundo dos negócios, repercutindo nas bolsas de valores no mundo todo, gerando uma enorme instabilidade nos investidores, fazendo com que adiem, suspendam, cancelem ou transfiram seus investimentos e seus projetos, muitas vezes de imediato, mas também no médio e longo prazo.

 

Se tudo à sua volta apresenta-se de forma absurdamente volátil, insegura e incerta, é preciso se precaver para não ser surpreendido com os acontecimentos de uma hora para a outra.

 

Sem qualquer desespero ou ação imediatista, considere sempre a importância de procurar viabilizar algum projeto especial, algum trabalho, ou alguma atividade que possam ser conciliados e não concorram com as suas atividades principais, especialmente se estas envolverem vínculo empregatício.

 

Assista também:

 

Além de você estar fazendo algo que pode trazer ganhos complementares imediatos, de médio e longo prazo, e se precavendo para eventuais adversidades provocadas pelas instabilidades já mencionadas e pela dinâmica normal do mercado de trabalho, você poderá exercitar o seu lado empreendedor,  adquirindo novas experiências, provavelmente exercendo uma “atividade hobby”, gerando oportunidades de trabalho e ocupação para tantos outros – para não citar muitos outros aspectos saudáveis, decorrentes de uma atividade paralela, que variam de pessoa para pessoa.

 

E você pode fazer isso só, como, por exemplo: dar aulas em escolas e faculdades; atuar como um consultor autônomo, oferecendo trabalhos de assessoria relacionados com suas habilidades e competências para outras empresas; ministrar palestras, realizando workshops de treinamento. Pode também fazer as mesmas coisas em parceria com outras pessoas, empresas e consultorias. As parcerias podem ser formatadas em projetos com amigos, filhos, esposa e parentes. O leque de opções é grande para isso, tanto para pequenos como para grandes investimentos, bastando apenas você querer colocar a idéia em prática.

 

Agindo assim, como acontece em muitos casos, você poderá descobrir a sua “veia artística” e transformar o que seria uma atividade paralela em uma atividade principal, que trará renda prioritária para as suas necessidades e compromissos atuais. E quando isso não ocorre, com freqüência ela poderá se tornar uma excelente alternativa de complementação salarial, para quando parar de trabalhar.

 

Dependendo da atividade paralela que estiver exercendo, ela pode vir a ser a tranqüilidade e o fôlego de que você poderá precisar para se posicionar adequadamente no mercado de trabalho em momentos que necessitar enfrentar um processo de recolocação profissional, tanto nos aspectos psicológicos e emocionais, como, obviamente, na questão econômica e financeira.

 

LEIA TAMBÉM:

 

Autor:
Paulo Pereira,  Trabalho e Renda
Youtube: Trabalho e Renda – Paulo Pereira
Facebook: @TrabalhoeRendaPP