Em um de seus livros: Manual do Selecionador de Pessoal (Dicas e Reflexões de Um Headhunter) o autor, José Hamilton Bueno, apresenta uma série de indicadores que, em sua visão (portanto da empresa, em nossa opinião), servem como referência para os entrevistadores e selecionadores, como forma de avaliação sobre seu desempenho, ou sua aprovação ou reprovação, por assim dizer.

 

Com alguma ou outra adaptação ou modificação por nós introduzidas, o autor apresenta os seguintes pontos:

 

1- Indicadores de Aprovação

 

  • Demonstrou reais e comprovadas qualificações, competência e experiências para ocupar a posição em disputa.

 

  • Tem um passado de realizações que o credenciam e que podem ser exploradas e aproveitadas por seu futuro empregador;

 

  • Demonstrou efetivo, concreto e objetivo interesse pelo cargo;

 

  • Demonstrou ser uma pessoa positiva, bem humorada e entusiasmada;

 

  • Foi coerente durante o processo todo. Não manipulou, não mentiu ou tentou parecer o que não é;

 

  • Foi pontual nas entrevistas e em outros compromissos.

 

  • Mostrou-se aberto, disponível, interessado e envolvido em todas as etapas pela qual passou;

 

  • Possui apresentação adequada em relação ao cargo e ao público com o qual se relacionará;

 

  • Teve um comportamento ético exemplar. Demonstrou possuir valores morais saudáveis e normalmente aceitos;

 

  • Não falou sobre dados confidenciais ou sigilosos, além de demonstrar lealdade com seus antigos empregadores e respectivos colegas;

 

  • Demonstrou preocupação com as demais pessoas envolvidas no processo, bem como habilidades adequadas para se relacionar com elas;

 

  • Apresentou referências, tornando os contatos mais fáceis.

 

  • A sua remuneração e pacote de benefícios atuais ou de quando ainda estava trabalhando, quando comparados com as condições oferecidas pela empresa, são compatíveis e sem grandes discrepâncias, para muito mais ou para muito menos, bem como não obrigam a empresa ter que criar algo muito especial em sua política de remuneração e benefícios.

 

Assista também:

 

 

2- Indicadores de reprovação

 

  • Solicitou revisão das condições de remuneração anteriormente combinadas;

 

  • Possui qualificações muito acima (ou, obviamente, muito abaixo) das necessidades da posição;

 

  • Mora longe em relação ao local de trabalho ou tem dificuldades de locomoção;

 

  • Não tratou o pessoal de recepção e de apoio de maneira adequada;

 

  • Não se manteve em seu devido lugar, não observando os limites éticos e de bom senso no seu relacionamento com o potencial empregador;

 

  • Não demonstrou que teve realizações importantes ou apropriadas para a posição em disputa, em sua trajetória profissional;

 

  • Demonstrou mal humor ou estar de mal com o mundo;

 

  • Demonstrou indecisão com relação à proposta de trabalho e ao salário que lhe foi oferecido; foi lento demais para tomar decisões a respeito;

 

  • Teve um comportamento ético, em relação aos seus antigos empregadores e respectivos colegas de trabalho, pouco recomendável;

 

  • Mentiu durante o processo ou foi pego em situações de contradição, inspirando desconfiança e insegurança quanto às suas reais qualificações, personalidade e caráter;

 

  • Pareceu totalmente desinformado sobre a empresa para a qual estava se candidatando e alienado em relação a muitas etapas do processo.

 

E aí, você acha que desta vez você foi aprovado ou reprovado no processo seletivo? Escreva para nós nos comentários.

E lembre-se: encare as negativas, gafes e erros como lições aprendidas. Se você foi reprovado neste processo seletivo, certamente poderá fazer diferente e melhor na próxima oportunidade.

Boa sorte!

 

Leia também:

 

 

Paulo Pereira
Sócio fundador da Eventos RH
Autor do Blog Trabalho & Renda